Eu em ti

Desejaria estar contigo quando eras no pensamento de Deus,

Quando tua mãe te concebeu e te alimentou com sua vida,

Desejaria estar contigo na primeira vez que distinguiste as formas,

[as cores e os sons,

Na tua primeira lágrima eu quisera estar contigo e assim na tua

[primeira alegria,

Desejaria estar contigo na tua infância e na tua adolescência,

[acompanhando as transformações do teu físico.

Ao teu lado desejaria estar quando, do teu corpo, constataste as

[primeiras células reprodutoras.

No teu primeiro pudor e no teu primeiro carinho eu quisera estar

[a teu lado,

Desejaria estar contigo na noite de tuas núpcias e no momento em

[que te uniste a outra mulher com o

[pensamento no teu primeiro filho.

Desejaria estar contigo no primeiro vestígio de tua velhice

E ainda desejaria estar contigo no momento da separação de

[tua alma,

Na decomposição de tuas carnes, do teu cérebro, de tua boca,

[do teu sexo,

Para poder continuar contigo, no mundo sem espaço e sem tempo.

– Adalgisa Nery, in: Mundos oscilantes, 1962, p.9.


Comments are closed here.