Mulher

Na face, a geografia da angústia,

Dos pânicos e das medrosas alegrias.

Cada ruga é um presságio.

E auréola da aflição constante

O esplendor dos cabelos brancos.

Uma só raiz para frutos diversos,

Uma só vida para destinos tão complexos,

Um só pranto para dores tão diversas.

O útero que gera o herói, o sábio, o poeta,

O santo, o miserável e o assassino.

Uma só raiz para frutos tão diversos!

O dom da paz em cada gesto

Cai como noites quietas

Sobre a alma em rancor,

Amor acima do amor.

– Adalgisa Nery, in: Erosão, 1973.


Comments are closed here.