Senzala

senzala
é minha carne retalhada
pelo dia-a-dia

senzala
é a sombra que tenho aprisionada
nos ghetos da minha pele.
– Adão Ventura, em “A cor da pele”. Belo Horizonte: Edição do Autor, 1980.


Comments are closed here.