Um

em negro

teceram-me a pele.

enormes correntes

amarraram-me ao tronco

de uma Nova África.

carrego comigo

a sombra de longos muros

tentando me impedir

que meus pés

cheguem ao final

dos caminhos.

mas o meu sangue

está cada vez mais forte,

tão forte quanto as imensas pedras

que os meus avós carregaram

para edificar os palácios dos reis. 

– Adão Ventura, em “Cor da pele”. 5ª ed., Belo Horizonte: Edição do Autor, 1988


Comments are closed here.