Manhã de sol

Dia azul de Maio. Esplende
um sol de ouro no céu que além se estende.

Prolongam-se vibrações do arrebol
na clara luz desta manhã de sol.
O céu ardente,
dum azul luminoso e transparente,
tem doçura infinita…
Um rumor de asas pelo azul palpita,
palpita pelo ar.
É carícia sonora, a música do mar.
O verde risonho
das árvores é lindo como um sonho.
A brisa leve e fresca em surdina cicia.
Há, em toda parte, uma explosão de alegria.
A natureza canta, radiosa,
um hino aleluial na manhã gloriosa.
E todo esse esplendor se comunica
à alma da gente, que vibrando fica
e, com alta emoção esplêndida e feliz,
bendiz,
numa alegria incontida,
a glória de viver e a beleza da vida.
– Janaína Passos (1934), em parte I “Momentos de Poesia”, do livro ‘Nossos poemas’. Salvador: A Editora Bahiana, 1942.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *