Do amoroso esquecimento

Eu agora — que desfecho!
Já nem penso mais em ti…
Mas será que nunca deixo
De lembrar que te esqueci?


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *